O título do blog tem amplo significado. Tanto o autor como o presente espaço estão em constante construção.
(Afinal, somos seres inconclusos...). O blog vem sendo construído periodicamente - como todo blog - através da postagem de textos, comentários e divagações diversas (com seu perdão pela aliteração).

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Caminhe sobre o mar...

Trata-se a presente postagem de um breve comentário sobre a passagem bíblica registrada no Evangelho segundo escreveu Mateus, capítulo 14.22-32. Diz a epígrafe: "Jesus anda por cima do mar".
22 E logo ordenou Jesus que os seus discípulos entrassem no barco e fossem adiante, para a outra banda, enquanto despedia a multidão.
Em várias ocasiões percebemos nos Evangelhos a afirmação de que Jesus saiu de onde estava e deslocou-se para outro lugar, para outra cidade, para o outro lado, etc. (e.g.: Mt 4.23, 8.14, 8.18, 9.1, 19.1; Mc 2.1, 3.1, 4.35, 7.24; Lc 7.1, 8.1; Jo 4.6, 4.46, 11.7). Onde havia um pecador, um enfermo, um necessitado, para lá ia Jesus encontrá-lo e levar a ele a cura, a salvação, a libertação. Não foi você quem encontrou Jesus, foi Ele quem te encontrou. Não foi você quem O escolheu, foi Ele quem escolheu você (João 15.16).

23 E, despedida a multidão, subiu ao monte para orar à parte. E, chegada já a tarde, estava ali só. 
A importância de separarmos um tempo para estarmos a sós com o Pai está explícita nesse versículo. Jesus assim o fez. E assim nos ensinou (Mateus 6.6). Jesus tinha seus locais secretos para orar ao Pai (Mc 1.35; Lc 4.42, 5.16, 6.12). A Palavra nos ensina a lançar sobre Ele, e mais ninguém, nossas ansiedades (I Pe 5.7).  

24 E o barco estava já no meio do mar, açoitado pelas ondas, porque o vento era contrário. 25 Mas, à quarta vigília da noite, dirigiu-se Jesus para eles, caminhando por cima do mar. 
No mar da vida constantemente nosso barco é açoitado pelas ondas ocasionadas pelo vento contrário. Esse vento contrário pode ser, por exemplo, um desemprego, uma enfermidade, uma crise conjugal, etc. Adversidades que drenam nossas forças. Por vezes parece que Jesus não vai nos socorrer, mas é só impressão. Quando você menos espera lá vem Jesus caminhando por cima do mar em teu socorro. Ele não te abandona e nem te desampara. Caminha sempre ao seu lado, você é quem não percebe. Como aconteceu com os dois discípulos no caminho de Emaús (Lc 24.13)

26 E os discípulos, vendo-o caminhar sobre o mar, assustaram-se, dizendo: É um fantasma. E gritaram, com medo. 27 Jesus, porém, lhes falou logo, dizendo: Tende bom ânimo, sou eu; não temais. 
Nesse mundo que jaz no maligno, por vezes pensamos haver motivos para temer. No entanto, Jesus quer que olhemos para Ele e que não tenhamos medo. Seu Poder não tem limites, e Ele, o Rei dos reis e Senhor dos senhores te diz: “não temas”. Encontramos na Bíblia 366 vezes os termos “não temas”, “não temais”, “não tenhas medo” e similares. Jesus quer deixar patente que está conosco, e que devemos depositar n’Ele a nossa confiança. 

28 E respondeu-lhe Pedro e disse: Senhor, se és tu, manda-me ir ter contigo por cima das águas. 29 E ele disse: Vem. E Pedro, descendo do barco, andou sobre as águas para ir ter com Jesus. 
O milagre aqui nem é tanto Jesus andar sobre o mar (embora também seja), mas Pedro. É como se nós, com nossas limitações, com nossa pequena fé, andássemos sobre as águas, literalmente falando. Observe a vida de Pedro. A Bíblia nos dá amostras de seu temperamento: ele era um homem indouto, turrão, impetuoso, de atitudes impensadas; mas Cristo o chamou mesmo assim. Agora olhe para a minha e para a sua vida: somos tão faltosos como Pedro. E Jesus nos chamou mesmo assim. Mesmo com sua limitada fé, Pedro chegou a dar alguns passos sobre o mar, pois Jesus mandou. Se Jesus mandar, ande, vá, faça, pois Ele se responsabiliza. Mas só se Ele mandar. Não tente dar passos sem a orientação do Mestre. 

30 Mas, sentindo o vento forte, teve medo; e, começando a ir para o fundo, clamou, dizendo: Senhor, salva-me. 
O problema está no vento forte, mais ainda quando tais problemas desviam nossos olhos de Jesus. Quando isso acontece, inevitavelmente afundamos. Mantenha os olhos fixos em Cristo. “Senhor, salva-me”, disse Pedro. Por vezes só lembramos de clamar, orar a Jesus diante do problema, em última instância. Como diz o ditado: “Na hora do aperto, o homem se lembra de Deus e da polícia. Passado o problema, se esquece de Deus e critica a polícia”. 

31 E logo Jesus, estendendo a mão, segurou-o e disse-lhe: Homem de pequena fé, por que duvidaste? 
Não duvide do agir do Mestre. Lembre-se de que ele tem todo o Poder. Lembre-se também de Suas Palavras: “... se tiverdes fé como um grão de mostarda, direis a este monte: Passa daqui para acolá—e há de passar; e nada vos será impossível” (Mateus 17.20). 

32 E, quando subiram para o barco, acalmou o vento.  
Quando depositamos nossa confiança em Cristo, seguramos em Suas mãos e permitimos que Ele entre em nosso barco, não há vento que não acalme. Não há tempestade que não passe. Não há adversidade que nos tire a paz. Basta tão somente que confiemos n’Ele. "Entrega o teu caminho ao SENHOR; confia nele, e ele tudo fará" (Salmo 37.5).

Soli Deo Gloria

Alessandro Cristian

Citações bíblicas: Bíblia de Estudo Pentecostal, versão Almeida Revista e Corrigida. Rio de Janeiro: CPAD, 1995.

4 comentários:

  1. Olá!

    Estou aproveitando este espaço para divulgar o blog "Salvos Pelo Amor!"

    Sua visita é muito importante para nós!

    Abraços.

    http://salvospeloamor.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Amém, amado irmão.
    Deus abençoe.
    Alessandro Cristian

    ResponderExcluir
  3. Caro irmão Alessandro, a paz de Jesus Cristo!

    Como bem disse o irmão:"...Jesus quer que olhemos para ele..." Então vamos sempre olhar para o bom mestre e rogar ao Espírito Santo o seu indispensável auxílio.

    Em
    Cristo

    ResponderExcluir
  4. Amém, prezado irmão Gernandes.
    Afinal sem Ele, nada podemos fazer.
    Que Deus abençoe sua vida.
    Alessandro Cristian

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião...
Que Deus muito o abençoe.