O título do blog tem amplo significado. Tanto o autor como o presente espaço estão em constante construção.
(Afinal, somos seres inconclusos...). O blog vem sendo construído periodicamente - como todo blog - através da postagem de textos, comentários e divagações diversas (com seu perdão pela aliteração).

terça-feira, 3 de julho de 2012

Três ideias errôneas sobre o "Céu"

A Palavra de Deus nos assegura que temos, enquanto eleitos de Deus, um lugar preparado na Eternidade, onde estaremos com o Senhor para sempre. O próprio Jesus afirma: "Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito. Vou preparar-vos lugar. E quando eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também."(João 14:2-3).
Há na Bíblia fartas passagens alusivas ao chamado "Céu", ou Paraíso, o lugar onde os salvos estarão para sempre com o Senhor (e.g.: I Ts 4.16-17; I Co 15.50-56; Ap 21; etc).
Mas algumas passagens bíblicas a respeito do Céu por vezes são interpretadas ipsis litteris, e acabam dando margem para o surgimento de ideias errôneas. Algumas dessas ideias, como que numa espécie de catacrese espiritual, hoje já fazem parte do inconsciente coletivo cristão e, caso alguém queira desmistificá-las, corre o risco de se passar por herege. Mas tudo bem, assumo o risco para que a verdade seja dita. Assim, depois dessa introdução, afirmo com todas as letras que:
1) O Céu não se localiza no céu. É isso mesmo que você leu: o Céu não fica no céu. Quero dizer, a morada dos salvos não fica nesse lugar que você enxerga quando olha para cima. Se assim fosse, seria possível chegar lá de foguete, após uma looooonga viagem pelo espaço.
Onde fica então o lugar que Jesus preparou para seu povo? Ora, o local onde está o Trono de Deus e a Eternidade são lugares intangíveis, em outra dimensão, localidades espirituais onde nosso pensamento, por mais longe que consigamos levá-lo, nessa vida nunca alcançará. Estão muito além do que possa imaginar nosso limitado raciocínio.
Ao se referir ao Paraíso como um lugar que está lá em cima, e ao inferno como lá embaixo, a Bíblia utiliza linguagem simbólica. Ou você também acredita que, se cavarmos um túnel em direção ao centro da Terra, chegaremos ao lugar de suplício eterno? Não, prezado. Como eu disse, a Bíblia se utiliza de linguagem simbólica. Tanto o Céu, como o inferno, são lugares reais, mas espirituais.
Referindo-se a si mesmo de maneira velada, Paulo afirma que foi arrebatado até o terceiro céu. O primeiro céu, seria o céu dos pássaros e aviões. O segundo céu equivale ao espaço sideral. O terceiro, por sua vez, seria "o Céu" propriamente dito, o lugar onde Deus habita. Tal conceito, graças às palavras registradas por Paulo em II aos Coríntios 12, fixaram na tradição cristã, o conceito de que Deus está lá em cima, literalmente.
2) No Céu não tem ouro, nem quaisquer outros metais preciosos.
"E a construção do seu muro era de jaspe, e a cidade de ouro puro, semelhante a vidro puro. E os fundamentos do muro da cidade estavam adornados de toda a pedra preciosa. O primeiro fundamento era  jaspe; o segundo, safira; o terceiro, calcedônia; o quarto, esmeralda; O quinto, sardônica; o sexto, sárdio; o sétimo, crisólito; o oitavo, berilo; o nono, topázio; o décimo, crisópraso; o undécimo, jacinto; o duodécimo,  ametista. E as doze portas eram doze pérolas; cada uma das portas era uma pérola; e a praça da cidade de  ouro puro, como vidro transparente." (Apocalipse 21:18-21)
Com base no texto acima, a maioria absoluta dos cristãos acredita que no porvir andaremos em ruas de ouro, habitaremos em palácios de pedras preciosas e nos banharemos em um mar de cristal. "Ué, mas não está correto?", podem perguntar alguns. Resposta: Não, não está correto. Quando o Apóstolo João registrou as visões que teve na Ilha de Patmos, passou para o pergaminho de uma maneira que, quem lesse, pudesse ao menos ter um vislumbre das maravilhas que encontraremos na Nova Jerusalém. Afinal, lugares espirituais são espirituais, coisas materiais são materiais.
Não, não andaremos em ruas de ouro. As vias onde vamos caminhar são infinitamente mais preciosas do que o ouro, que é corruptível. Na Eternidade só há coisas incorruptíveis.
3) No Céu não há ócio. Ou seja, não seremos eternos inativos na vida futura. Esqueça a ideia de ficar vagando à toa por plácidos ambientes, sem fazer absolutamente nada. Afinal, a Bíblia nos dá conta de que "(...) ali nunca mais haverá maldição contra alguém; e nela estará o trono  de Deus e do Cordeiro, e os seus servos o servirão" (Ap 22:3). Ou seja, lá continuaremos sendo servos, e servo tem suas tarefas a serem executadas. Não viveremos ociosos, olhando o tempo passar. Até porque Eternidade e tempo não se combinam.
Amém?

Soli Deo Gloria
Alessandro Cristian

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião...
Que Deus muito o abençoe.