O título do blog tem amplo significado. Tanto o autor como o presente espaço estão em constante construção.
(Afinal, somos seres inconclusos...). O blog vem sendo construído periodicamente - como todo blog - através da postagem de textos, comentários e divagações diversas (com seu perdão pela aliteração).

sábado, 27 de março de 2010

Os epicureus, os estóicos e a sociedade hodierna

Durante o período em que permaneceu pregando o evangelho em Atenas, o apóstolo Paulo foi afrontado por alguns filósofos epicureus e estóicos, que começaram a discutir com ele.  "Alguns perguntavam: 'O que está tentando dizer esse tagarela?' Outros diziam: 'Parece que ele está anunciando deuses estrangeiros', pois Paulo estava pregando as boas novas a respeito de Jesus e da ressurreição" (At 17.18). Mas quem eram esses tais epicureus e estóicos? Inicialmente cabe ressaltar que, embora citados lado a lado, pertenciam a duas  correntes filosóficas distintas, dentre as tantas existentes na Grécia.
De maneira resumida, vejamos as principais ideias dessas linhas de pensamento. 
Iniciemos pelos epicureus, escola fundada por Epicuro (341-270 a.C.) no ano 300 a.C., aproximadamente. A filosofia por ele apregoada trazia em seu bojo o ensinamento de que  nosso objetivo precípuo deve ser obter para a vida, através dos sentidos, o máximo possível de satisfação afastando toda e qualquer forma de sofrimento. Extremamente materialista, ensinava que o bem supremo é o prazer. Demonstravam pouco interesse por política e pela sociedade, e tinham como palavra de ordem "viva o agora". 
No mesmo período e nação surge o estoicismo, fundado por Zenão. Segundo os estóicos, as pessoas são parte de uma mesma razão universal. Criam que os processos naturais eram regidos pelas leis da natureza e por isso o homem deveria aceitar deu destino. Se mostravam insensíveis a tudo. 
Observando tais pensamentos, fica patente que a sociedade em nossos dias tem "um quê" de epicurismo e estoicismo.
Como os epicureus, materialista ao extremo. O homem vive como se não houvesse um porvir: importa o aqui, o agora, o imediato. Busca o prazer a todo custo. Hedonismo é a palavra-chave.
À semelhança dos estóicos, aprisionada a um fatalismo ingênuo que têm servido de desculpa para a inércia, para a inoperância, para uma vida ao "Deus dará". Dando margem à insensibilidade quanto ao sofrimento do próximo e ao próprio sofrimento, sempre utilizando as velhas máximas como desculpa: "Deus assim o quis", "Se Deus quiser" e, por conseguinte, não movendo uma palha sequer para reverter situações adversas.
No areópago, chamaram Paulo de paroleiro, tagarela, pregador de deuses estranhos. Não se preocupe se acontecer o mesmo com você. A semelhança entre os pensamentos em voga hoje e os pensamentos dos epicureus e estóicos é gritante.
Mas faça como o apóstolo: pregue mesmo que te chamem de paroleiro. Muitos desdenharão e dirão: "A respeito disso te ouviremos noutra ocasião." (At 17.32). Mas sempre haverá os "Dionísios" e as "Dâmaris" que crerão (At 17.34).
Soli Deo Gloria
Alessandro Cristian

12 comentários:

  1. Achei em seu blog aquilo que estava procurando! parabéns pelo esforço e dedicação! eu também sou militar do estado do MA. vou sempre estar acessando para adquirir conhecimentos. valeu! Graça e Paz!

    ResponderExcluir
  2. Amém, prezado Cleudes. Muito obrigado pela visita e pelas palavas de apoio. Deus te abençoe ricamente.

    ResponderExcluir
  3. Obrigado por este post, me ajudou muito em minha pesquisa.

    Que o amor de Cristo cresça cada dia mais em você.

    A Paz seja contigo!

    ResponderExcluir
  4. Grato pelo incentivo, prezado Neto.
    Deus abençoe sua vida.

    ResponderExcluir
  5. Obrigada meu irmão por esta explicação continue a nos ajudar a entender a palavra e a incentivar a pregar o amor de Cristo. A Paz do Senhor Jesus esteja contigo e toda a sua família.

    ResponderExcluir
  6. APSJ aos irmãos.
    A filosofia é muito boa para esta vida mas não transcende para a eternidade pois parte da razão humana explicando a essência do ser, enquanto que o evangelho que Paulo pregava, e continua vivo nos dias atuais, vem da revelação, da atuação do E.S. e proporciona um novo norte, converte os necessitados de que estão carentes de uma vida eterna na presença do criador morrendo para a vida atual.

    As linhas de pensamentos filosóficas dos epicureus e estoicos surgiram precedendo o advento messiânico do nascimento do Sr Jesus pois ELE veio na plenitude dos tempos cujo cenário profético estava silencioso e DEUS ficou 400 anos sem falar com seu povo, era um tempo de trevas, densas trevas.

    O cenário tão corrompido moralmente e espiritualmente da nossa atualidade, traze-nos a entender profeticamente que vivemos a plenitude dos gentios, o mundo esta em trevas, tempo preparado para a volta de JESUS e o resgate da igreja fiel, onde tem ressurgido varias linhas de pensamentos filosóficos enfeitadas pela pluralidade religiosa dos falsos ensinamentos que vem surgindo, impondo falsos valores que a igreja fiel tem visto e ouvido mas não tem como compartilhar.
    Um abraço a todos
    José Barcellos

    ResponderExcluir
  7. obrigado ajudou em minha pesquisa sobre o apostolo paulo.Feliz sabado
    Um grande abraco
    Vandair Nunes

    ResponderExcluir
  8. Encontrei as explicações que ajudaram-me a compreender o texto bíblico. Talvez hedonismo e resignação sejam as correntes modernas do epicurismo e do estoicismo. Deus abençoe!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém, prezado. Grato pela visita e comentário. Deus abençoe sua vida.

      Excluir
  9. Muito pertinente a correlação feita entre o epicurismo,o estoicismo e a forma de viver da sociedade hodierna. Estava escrevendo no meu blog sobre o assunto e precisava enriquecer o texto, então achei seu blog, do qual já me tornei um seguidor. Parabéns pela clareza.

    Paz de Cristo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém, prezado Josafá. Grato pelas palavras de apoio. Deus abençoe sua vida.

      Excluir

Deixe sua opinião...
Que Deus muito o abençoe.